Inscription newsletter

Recevez les nouvelles et les avis de promotions spéciales

Poesía - Canções de Carlos Rennó

Carlos Rennó
Disques: MPB

Available now

16,61 € TTC

Fiche technique Disques

Timbre Sesc SP
Style MPB
Année d'origine Édition 2018
Compilation No

En savoir plus

Interpretaciones de: Arnaldo Antunes; Chico César; Felipe Cordeiro; Geronimo Santana; Gilberto Gil; João Bosco; Leo Cavalcanti; Lívia Nestrovski, Cacá Machado & Alessandra Leão; Luiz Tatit; Moreno Veloso; Paulinho Moska & Marcos Suzano; Pedro Luís; Tetê Espíndola, Arrigo Barnabé & Carlos Rennó; Zé Miguel Wisnik; Zeca Baleiro.

Edición en lujoso formato Digipack, con libreto de 60 páginas, ilustrado en color.

Precioso 'songbook' del gran letrista paulista (también articulista y escritor) Carlos Rennó (São José dos Campos, SP, 1956), lanzado para celebrar cuarenta años de la primera grabación de alguna de sus composiciones. Concretamente, fueron tres letras que la cantante Tetê Espíndola incluyó en el repertorio de su álbum "Lírio selvagem" (1978)).

Tierno y apasionado en los temas amorosos, mordaz e incisivo en los de denuncia/crítica de situaciones sociales y/o políticas, agudo y divertido en las digresiones festivas, siempre preocupado y meticuloso en los aspectos formales (sonidos y ritmo), sus 'parceiros' no tienen edad ni estilo musical determinado. Algunos de ellos son los encargados de interpretar en formato intimista las canciones que crearon con él, en su mayoría en la última década, algunas de ellas inéditas hasta ahora.

"Muitos letristas (não Carlos Rennó, ele se identifica como letrista mesmo) preferem se chamar de poetas. Porém, não tantos letristas (e nem poetas) demonstram o zelo que ele tem (à excelência) pela arte (dos grandes poetas) de escolher palavras (em som e sentido) para compor canções. Esse disco, “Poesia”, vem fazer justiça. Não a de podermos chamá-lo, Rennó, de poeta. Mas de revelar que os letristas (os grandes) são o que os (grandes) poetas são. “Poesia”: em cada letra de cada palavra e em cada palavra de cada letra a que existe em um poema. E as construções de Rennó têm a vantagem de não abdicarem da naturalidade das letras para exibir a construtividade da poesia. Arrima da rima a nota da canção.

Confessadamente influenciado por poetas de extremo rigor formal, como João Cabral de Melo Neto e Augusto de Campos, ambos com fama (autoproclamada, no caso do primeiro) de antilíricos, o letrista Carlos Rennó coloca sua habilidade ateé virtuosística a serviço de um lirismo que pode iludir ouvidos (e tinos) ingênuos. A letra de “Minha Preta”, com suas rimas (toantes) anagramáticas, talvez seja o exemplo mais claro do que digo: “Minha diva / Minha vida / Em suma / A musa” (parceria com Geronimo). Mas também os versos de “Nova Trova” (com Zeca Baleiro): “Alma à qual almejo me algemar; / Poder saber / O seu sabor”, onde as rimas se dão não na mesma estrofe, mas entre as estrofes – rimas que Ezra Pound chamava polifônicas. Além da imprevista: “Remirá-lo hei / Admirá-lo-ei”. Em procedimentos assim, Rennó evoca Cole Porter, mas também Arnaut Daniel, o trovador, de outra forma citado na letra de “Todas Elas Juntas Num Só Ser” (com Lenine), ao lado de Hervé Cordovil, É O Tchan, Gabriel O Pensador, Johnny Mercer e Braguinha.

Poesias (in)distintas. E por falar em processamento sutil de influências, Carlos Rennó demonstra uma vez mais nesse disco ter aprendido dos poetas concretos a concepção total de cada projeto, quando e onde tudo é estruturante. Assim, a própria escolha dos parceiros (e dos intérpretes) para cada letra (ou versão) é pinçada com o cuidado com que ele escreve uma letra: significante. Paideuma. Em “Exaltação dos Inventores” (com Luiz Tatit), o letrista (“...e para que poetas...?”) brinca com essa noção de paideuma e a imbri(n)ca na própria letra, em jogos que já chamam para a dança o prosador (aquele meu xará) que disse que palavra cantada é palavra voando e que também fundiu nomes e verbos em palavras-valise no seu “Finnegans Wake”. “Poesia”, Carlos Rennó. Tiro minha cartola, reverente..." James Martins (poeta y periodista)

Themes

CD 1
1
Pintura
João Bosco - Carlos Rennó
João Bosco
2
Nova trova
Zeca Baleiro - Carlos Rennó
Zeca Baleiro
3
Canção para ti
Ana Carolina - Moreno Veloso - Carlos Rennó
Moreno Veloso
4
Todas elas juntas num só ser
Lenine - Carlos Rennó
Ellen Oléria, Felipe Cordeiro, Junio Barreto, Leo Cavalcanti, Pedro Luís, Wilson Simoninha & Lenine
5
Nus
Arnaldo Antunes - Carlos Rennó
Arnaldo Antunes
6
Suaí
Livio Tragtenberg - Carlos Rennó
Lívia Nestrovski, Cacá Machado & Alessandra Leão
7
Outros sons
Arrigo Barnabé - Carlos Rennó
Tetê Espíndola, Arrigo Barnabé & Carlos Rennó
8
Eu disse sim
José Miguel Wisnik - Carlos Rennó
Zé Miguel Wisnik
9
Seta de fogo (A canção de Teresa)
Chico César - Carlos Rennó
Chico César
10
O momento
Léo Cavalcanti - Carlos Rennó
Léo Cavalcanti
11
Minha preta
Geronimo Santana - Carlos Rennó
Geronimo Santana
12

Paulinho Moska - Carlos Rennó
Paulinho Moska & Marcos Suzano
13
Exaltação dos inventores
Luiz Tatit - Carlos Rennó
Luiz Tatit
14
Tá?
Pedro Luís - Carlos Rennó
Pedro Luís
15
Hidrelétricas nunca mais
Felipe Cordeiro - Carlos Rennó
Felipe Cordeiro
16
Átimo de pó
ilberto Gil - Carlos Rennó
Gilberto Gil