Inscription newsletter

Recevez les nouvelles et les avis de promotions spéciales

Minha fama de mau

Erasmo Carlos
Livres: Música

Available now

20,90 € TTC

Fiche technique Livres

Éditorial Ponto de Leitura / Objetiva
Style Música
Année d'origine Édition 2009

En savoir plus

1ª edición de bolsillo, 2012. 365 páginas (12 x 18 cm) (Peso: 278 gr).

"Com cabeça de homem e coração de menino, o cantor e compositor conta suas divertidas memórias, da infância humilde à consagração como ídolo do rock.

Ele veio ao mundo para topar qualquer parada. Erasmo Carlos não só venceu os muitos desafios que o destino colocou no seu caminho, como se tornou um dos primeiros popstars brasileiros. Minha Fama de Mau conta como o menino criado pela mãe numa casa de cômodos, superou todas as limitações e o preconceito da Zona Sul carioca, consagrando-se, junto ao amigo Roberto Carlos, como o porta-voz sentimental de milhões de pessoas.

Não só um ícone da MPB, Erasmo é também, como diz a letra de Amigo, uma pessoa doce, engraçada e generosa. Um artista deliciosamente humano que, através de suas memórias, conta as dificuldades e alegrias da juventude marcada pelo fenômeno da Jovem Guarda e da fama tão inesperada como explosiva.

No começo de tudo, era quase impossível prever que tanto sucesso chegaria. De estoquista de loja de sutiãs a carregador de tijolos refratários, Erasmo fez de tudo até alcançá-lo - experiências frustradas que o convenceriam de que seu destino definitiva-mente era trabalhar com música. Nascia dentro do jovem rapaz a personalidade hoje consagrada por parceiros como Rita Lee, para quem Erasmo é o "pai do rock brasileiro". Mas o peso do título jamais seria razão para deslumbramento. Neste livro, o adulto que conta as histórias é o mesmo garoto criado com simplicidade e amor pela zelosa Dona Diva. Os vizinhos do velho casarão tijucano só não poderiam imaginar que o mesmo Erasmo que aprontava todas ao lado de Tim seria hoje uma figura ilustre da música brasileira ao lado do mesmo Tim, sobrenome Maia.

Por dois anos e meio Erasmo reuniu essas e outras passagens que costurariam os detalhes de sua vida e sua carreira. Aos 68 anos, quase seiscentas composições e muitos prêmios depois, se mostra tão à vontade no texto quanto nos tempos da Jovem Guarda. As amizades, cultivadas ao longo de décadas, continuam firmes. A família é representa-da pelos filhos Gil, Gugu e Léo, que formam junto ao pai "os quatro homens dependen-tes", de quem fala na música Mulher, de 1981. Personificada, essa mulher seria Nara, sua esposa por 16 anos e ainda fonte de inspiração. Sentado à beira do mesmo caminho, Erasmo acredita na sorte: "Mas também acredito no azar, bicho. Consegui na vida muito mais do que imaginei, não tenho do que reclamar.""