Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

Ao vivo na Boate Porão 73

Eliana Pittman & Booker Pittman
Discos: Jazz

Disponible

18,49 € impuestos inc.

Ficha técnica Discos

Sello Discobertas
Estilo Jazz
Año de grabación 1966
Año de Edición Original 2019
Concierto

Más

Eliana Pittman (voz), Booker Pittman (voz, saxo, clarinete)

Salvador Trio: Dom Salvador (piano), Edson Lobo (contrabajo), Victor Manga (batería).

Grabado "ao vivo" en la Boate Porão 73, en la ciudad de Rio de Janeiro, en 1966.

Primera edición en CD, de 2019, del registro hasta ahora inédito.

"É difícil para o público do Brasil associar Eliana Pittman ao jazz. No imaginário musical de quem viveu os anos 1970, a cantora carioca é a vivaz intérprete de sambas e carimbós que lhe deram fama nacional naquela década áurea. Mas Eliana herdou do padastro Booker Pittman (1909 – 1969) o gosto pela música norte-americana e pelo jazz.
Ouvir Eliana dando voz, com aguçado senso rítmico, à canção You're nobody till somebody loves you (Russ Morgan, Larry Stock e James Cavanaugh, 1944) é atestar a versatilidade dessa cantora que caminha para os 73 anos, a serem festejados em agosto, sem ter construído a partir da década de 1980 uma discografia condizente com o talento vocal.
O álbum traz o registro parcial de show feito em 1966 por Eliana com Booker Pittman, importante saxofonista e clarinetista de jazz nascido em Dallas (EUA) que migrou para o Brasil a partir dos anos 1930, sendo carinhosamente apelidado de Buca por ninguém menos do que Pixinguinha (1897 – 1973), que também tocava saxofone, entre outros múltiplos atributos artísticos.
Produzido por Thiago Marques Luiz com Marcelo Fróes, o álbum Ao vivo na boate Porão 73 foi viabilizado quando Marques Luiz soube por Eliana que a cantora tinha no acervo particular fitas de rolo com gravações de shows feitos dentro e fora do Brasil nos anos 1960 e 1970. Uma dessas fitas reproduzia o áudio do show feito por Eliana com Booker quando ambos voltaram ao Brasil, em 1966, dando sequência à parceria musical iniciada no alvorecer da década de 1960.
Localizada no bairro carioca do Leme, a badalada boate Porão 73 foi o palco do show organizado pelo então emergente produtor Guilherme Araújo (1936 – 2007), como conta o jornalista Renato Vieira no texto publicado na contracapa interna do álbum.
Com arte criada por Bady Cartier a partir de fotos do acervo pessoal de Eliana, a capa do álbum Ao vivo na boate Porão 73 remete com propriedade aos discos norte-americanos de jazz. Pois o que se ouve é um disco de jazz, feito pela cantora e por Booker com trio formado por Dom Salvador (piano), Edson Lobo (baixo) e Victor Manga (bateria). E, por ser um disco de jazz, a boa surpresa é ouvir Eliana Pittman dando voz a uma canção dos primórdios do gênero como (Won't you come home) Bill Bailey (Hughie Cannon, 1902) como autêntica cantora norte-americana de jazz.
Com seis números do show, o álbum perpetua também o gracioso dueto de paidrasto e filha em Hello, Dolly! (Jerry Herman, 1963), clássico do teatro musical que tinha somente três anos de vida quando foi cantado por Eliana e Booker Pittman no show. Sozinho na abertura do disco, Booker sopra todo o virtuosismo ao solar a introdução de St. Louis Blues (William Christopher Handy, 1914) antes da entrada em cena do trio comandado por Dom Salvador. Além de tocar, Booker também solta a voz rouca no tema tradicional Joshua fought the battle of Jericho, em arranjo feito pelo próprio Booker.
A partir da entrada de Eliana, a filha de Booker ocupa o centro das atenções vocais. E é a voz de Eliana Pittman que fecha o disco com registro inicialemtne lento do samba Tristeza (Nilton de Souza, 1963) que ganha o progressivo coro do público entre improvisos vocais feitos por Booker à moda de Louis Armstrong (1901 – 1971). No fim, cantora e banda aceleram o andamento de Tristeza em clima quase carnavalesco.
A saída de cena de Booker três anos depois desse show – em 1969, em São Paulo (SP), em decorrência de câncer de laringe – entristeceria o mundo do jazz. Mas ficou a arte do músico, perpetuada neste histórico registro ao vivo de show feito com Eliana Pittman e ora lançado em disco." Mauro Ferreira (g1.globo.com)

Temas

CD 1
1
St. Louis blues (instrumental)
W.C. Handy
2
Joshua fought the battle of Jericho
Tradicional (Arr. Booker Pittman)
3
Hello Dolly
Jerry Herman
4
(Won't you come home) Bill Bailey
Hughie Cannon
5
Medley: Summertime / Stormy weather / You' re nobody till somebody loves you
George Gershwin - DuBose Heyward - Dorothy Heyward - Ira Gershwin / Harold Arlen - Ted Koehler / James Cavanaugh - Larry Stock - Russ Morgan
6
Tristeza
Haroldo Lobo - Niltinho