Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

Cartografias

Caetano Brasil & Grupo
Discos: Jazz / Choro

Disponible

16,61 € impuestos inc.

Ficha técnica Discos

Sello Independiente
Estilo Jazz / Choro
Año de Edición Original 2019
Instrumental

Más

Caetano Brasil (saxo soprano, saxo tenor, clarinete, arreglos, dirección)

Guilherme Veronee (piano), Adalberto Silva (bajo eléctrico, bajo fretless), Gladston Vieira (batería).

Edición en funda de cartón (cardboard sleeve).

Espléndido segundo álbum del joven clarinetista, saxofonista y compositor mineiro Caetano Brasil (Juiz de Fora, 1994). Fue uno de los candidatos al Grammy Latino de 2020 en la categoría de Mejor Álbum Instrumental.

"A arte, a cultura e a música desconhecem fronteiras, e Caetano Brasil pode ser considerado um “Cidadão do mundo” neste quesito. O clarinetista, saxofonista e compositor lança o seu segundo álbum, apropriadamente intitulado “Cartografias”, que leva a assinatura de Caetano Brasil & Grupo. Com influências musicais de várias partes do planeta acompanhado pela mesma banda que tem acompanhado o músico no projeto desde 2017: Guilherme Veroneze no piano, Gladston Vieira na bateria e Adalberto Silva no contrabaixo (...)
O sucessor de seu álbum de estreia foi gravado no estúdio Versão Acústica, em São João Nepomuceno, com mixagem de Ricardo Itaborahy e masterização de Nando Costa. Com um total de oito faixas, ele foi gravado em três sessões entre setembro de 2018 e o último mês de outubro. “Foram sessões de apenas um dia, em que gravávamos ao vivo, todos juntos, para recriar o clima dos shows”, conta. “Na primeira vez, gravamos o single ‘Romani’, e, no início do ano, reuni os meninos para uma nova sessão, e a última foi para completar o material do disco. Com exceção do single, as outras sete são inéditas, e a maioria já conhecidas dos shows do projeto. O primeiro álbum funcionava como uma espécie de cartão de visitas do meu trabalho, enquanto esse disco é um retrato do nosso trabalho enquanto quarteto, e por isso quisemos levar o show para o estúdio.”
Ele destaca ainda que “Cartografias” é um projeto totalmente independente. “Só foi possível através da parceria com vários profissionais, como os integrantes do grupo, a equipe técnica, o Itaborahy, o Nando Costa, a Eliza Granadeiro (Sinfônica Produções), o Renan Torre com o projeto gráfico e o Emmerson Nogueira (proprietário do Versão Acústica).”
“Cartografias” é um projeto de pesquisa sobre estilos musicais de todo o mundo, que teve início em 2017 e que encerra o ciclo com o lançamento do álbum, que segundo Caetano tem uma pegada contemporânea, unindo o choro brasileiro com estilos como a música folclórica oriental, latina, do leste europeu e o jazz, entre outros. Dois dos frutos dessa iniciativa são os prêmios no XVIII Prêmio Nabor Pires Camargo Instrumentista, de Indaiatuba (SP), e de Melhor Instrumentista do XIX Prêmio BDMG Instrumental, de Belo Horizonte, obtidos com a segunda sessão de gravações.
“Ele surgiu a partir do momento em que entendi que o choro, essa música brasileira na qual eu nasci musicalmente, tem um potencial infinito. Temos um legado deixado pelos grandes mestres, que já era uma mistura da música negra com a europeia. Observei uma música que dialoga com o tempo, as novas tendências, e influenciada pelo trabalho de outros amigos que também pesquisavam, como no movimento impressionista, que busca renovar a música clássica. Ao pesquisar, vi que poderia ambientar novas composições tendo como base o choro, incorporando essas influências. Porém, mesmo que viajemos musicalmente para muitos lugares, não perdemos nossas raízes.”
Com o lançamento do álbum, Caetano Brasil encerra o ciclo de “Cartografias” e passa a pensar em 2020, quando comemora dez anos de carreira e já tem outros projetos em mente. Entretanto, ao mesmo tempo em que tocava com o quarteto e desenvolvia a pesquisa musical, Caetano tocou várias iniciativas em paralelo, ou que se cruzavam com a iniciativa. São os casos das webséries “Conversa de improviso” (sobre a improvisação no choro), no YouTube, e “Em pauta”, no IGTV, em que falava sobre o processo de composição para o público em geral, da pesquisa dessas culturas e como chegou a determinados resultados retratados em “Cartografias”.
“Queria saber como arrumo tempo para tudo isso, porque não arrumo (risos). Mas o artista contemporâneo tem que dialogar com seu tempo, se aproximar do público, o que procurei fazer com as webséries. Estamos na era da internet, é preciso estar nesse mundo, ligado a assuntos fora da música, a questões sociais como o movimento LGBTQ+”, acredita.
“O quarteto é meu projeto principal, mas fazer parte do trabalho de outras pessoas, gravar com outros artistas, participar de espetáculos, servem de inspiração e renovam nosso fôlego. Observo que alguns artistas se fecham em suas próprias referências e acabam estagnados. Quando visitamos outros ares, passamos a ter novos conceitos.” Júlio Black (Tribuna de Minas, 02.12.2019)

"O músico mineiro Caetano Brasil (Juiz de Fora, 1994) é clarinetista, saxofonista e compositor. Ele começou a estudar de maneira praticamente autodidata. Com 12 anos, começou a tocar clarinete e aos 15, já integrava o Clube do Choro de Juiz de Fora. Não muito depois, o músico também cursou a Universidade de Música Popular (Bituca) de Barbacena (MG).
Lançou seu primeiro CD, em 2015, intitulado “Caetano Brasil”, com recursos da Lei Murilo Mendes (Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Juiz de Fora/MG). Nos últimos anos, dividiu o palco com importantes nomes da música mineira, brasileira e internacional e já gravou ao lado do pianista carioca Cristóvão Bastos, do violonista gaúcho Yamandu Costa, do multi- instrumentista turco Chadas Ustuntas, dentre outros.
Em 2017, foi o artista responsável pelo projeto “O mundo do choro contemporâneo”, patrocinado pelo Banco do Nordeste e produzido pela Sinfônica Produções, com realização de shows e oficinas de música nos Centros Culturais Banco do Nordeste em Fortaleza e em Juazeiro do Norte.
Ao completar 10 anos de carreira em 2020, atingiu um marco importante que reforça as próprias escolhas profissionais que fez ao longo desse período, celebrando seu trabalho e sua estética artística dentro da linguagem do choro contemporâneo: sua indicação para o Grammy Latino concorrendo com “Cartografias” na categoria de Melhor Álbum Instrumental.
Caetano desenvolve um trabalho autoral extremamente contemporâneo ao juntar o choro, gênero tipicamente brasileiro, com o jazz, a música folclórica oriental, ritmos latinos e de outras culturas mundo afora. Assim, as pessoas que conhecem sua música, seja virtualmente ou em uma de suas apresentações, entram em contato com composições e arranjos que carregam traços de sua terra e que, ao mesmo tempo, remetem a outros povos. Podemos dizer que este é um dos movimentos culturais que marcam territórios, cenários, emoções, memórias e sentimentos." (Texto extraído del site del artista)

Temas

CD 1
01
Gandaia
Caetano Brasil
02
Kopanitsa
Caetano Brasil
03
Mareante
Caetano Brasil
04
Hanami
Caetano Brasil
05
Bodas de choro
Caetano Brasil
06
Cardamomo
Caetano Brasil
07
Embaraçada
Caetano Brasil
08
Romani
Caetano Brasil