Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

Cantante

Mariana Nunes
Discos: MPB

Disponible

19,36 € impuestos inc.

Ficha técnica Discos

Sello Independiente
Estilo MPB
Año de Edición Original 2020

Más

Mariana Nunes (voz)

Nivaldo Ornelas (saxo soprano), Cristóvão Bastos (piano), Lula Galvão (guitarra acústica), Jorge Hélder (contrabajo),Rafael Barata (batería), Marcelo Costa (percusión), Jaques Morelenbaum (cello, arreglos, dirección, producción).

Participación especial de: Ed Motta (voz), João Cavalcanti (voz), Juarez Moreira (guitarra acústica).

Edición en formato Digipack.

"Depois de 12 anos do lançamento de seu primeiro trabalho solo, A luz é como a água (2008), a cantora mineira Mariana Nunes volta aos palcos para apresentar o álbum Cantante, produzido pelo instrumentista e maestro carioca Jaques Morelenbaum. O show de lançamento será nesta quinta-feira (12), em Belo Horizonte.
O trabalho foi planejado primeiramente para ser produzido por Flávio Henrique, que morreu em 2018, de complicações trazidas pela febre amarela. Isto fez com que a cantora fosse para o Rio gravar com um dos maiores instrumentistas brasileiros. Além da direção musical, Jaques Morelenbaum assinou também os arranjos e a produção do disco.
“Confesso que (trabalhar com Morelenbaum) era um desejo antigo. Resolvi gravar no Rio de Janeiro para também espairecer um pouco. Aí fui construindo o repertório aos poucos. A partir do momento em que me vi com timidez diante de um arranjador e produtor como o Jaques, acabei mudando um pouco as minhas ideias sobre o repertório e achei melhor passar por releituras que desejava cantar e que, de alguma forma, tinham a ver com esse universo dele”, conta Mariana.
A cantora diz que sua referência sobre Morelenbaum sempre passou por Caetano Veloso, principalmente por causa do disco Fina estampa. “Então resolvi gravar Quero ir a Cuba. Tenho uma relação com Cuba, pois já fiz shows. Essa é uma forma de homenagear a ilha. Depois gravei com João Cavalcanti Dueto, de Chico Buarque. Na verdade, estava em busca de uma música para cantar com ele e essa canção me pareceu perfeita, embora seja antiga e tenha sido regravada pelo próprio Chico (no álbum Caravanas, em que a interpreta com a neta Clara Buarque).”
O fato de gravar o disco no Rio permitiu que Mariana convidasse Ed Motta para participar do álbum. “Ele já tinha participado de um show do Cobra Coral, quando cantamos Doce ilusão, parceria dele com Nelson Motta. Então eu o convidei para gravar essa canção comigo. Gravei também Quadros modernos, de Toninho Horta, Flávio Henrique e Murilo Antunes, que foi uma forma de homenagear o Flávio. No ano passado, o Cobra Coral fez um show em homenagem ao Flávio e sugeriram que eu fizesse a canção com o Juarez Moreira. Ficou muito bonito o arranjo, muito especial, inspirado e delicado. Essa foi a única faixa gravada em BH, que é de voz e violão.”
Mariana também gravou Medo de amar (Vinícius de Moraes). “Gravei também uma sugestão de Jaques e que abre o disco, que é Tão fundo o mar. É uma versão de Carlos Rennó, que adoro e que vinha buscando também coisas dele para gravar. Trata-se de How deep is the ocean (Irvin Berlin), que é do universo jazzístico e Rennó fez essa versão em português.”
Outra música que integra o álbum é Ponto de vista, samba que fez sucesso com o grupo Casuarina e na voz de Zeca Pagodinho. “É uma parceria carioca de João Cavalcanti e Edu Krieger. Edu também é um grande letrista. Ponto de vista tem uma letra genial, extremamente apropriada para o momento que o Brasil está vivendo. Por fim, gravei uma inédita, Cantante, que dá nome ao CD e foi composta especialmente para este trabalho por Cristóvão Bastos e Roberto Didio.”.
Morelenbaum diz que a produção de Cantante “foi muito tranquila, pois propus a ela um time de músicos com os quais costumo trabalhar sempre”. Ele cita que “são músicos considerados no mundo todo, como o Lula Galvão,  que é meu parceiro no Samba Trio, um grande mestre, e o Rafael Barata, que é esse talento fantástico. Aí, somamos o Jorge Helder, que é o maior contrabaixista vivo brasileiro, de uma competência e uma segurança medonhas, além de ser agradável e divertido. Sem falar no Cristóvão Bastos, no Nivaldo Ornelas e no Marcelo Costa, que também não ficam atrás” (...).”  Augusto Pio (Estado de Minas, 11.03.2020)

Temas

CD 1
01
Tão fundo é o mar (How deep is the ocean)
Irving Berlin (Vers. Carlos Rennó)
02
Ponto de vista
João Cavalcanti - Edu Krieger
03
O que foi feito devera
Milton Nascimento - Márcio Borges - Fernando Brant
04
Cantante
Cristóvão Bastos - Roberto Didio
05
Doce ilusão
Ed Motta - Nelson Motta
Mariana Nunes & Ed Motta
06
Medo de amar
Vinicius de Moraes
07
Dueto
Francisco Buarque de Hollanda (Chico Buarque)
Mariana Nunes & João Cavalcanti
08
Quero ir a Cuba
Caetano Veloso
09
Quadros modernos
Toninho Horta - Murilo Antunes - Flávio Henrique
Mariana Nunes & Juarez Moreira