Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

Toda pele

Thayana Barbosa
Discos: MPB

Disponible

16,61 € impuestos inc.

Ficha técnica Discos

Sello Independiente
Estilo MPB
Año de Edición Original 2021

Más

Thayana Barbosa (voz, dirección)

Stéfanos Pinkuss (piano eléctrico), Luis Otávio (guitarra eléctrica, coros), Du Gomide (guitarra acústica, coros), Glauco Solter (bajo, coros), Valderval (batería, percusión, coros), Fernando Lobo y Simone Sou (percusión, coros), Hannah Pinkuss, Wagner Barbosa e Fred Teixeira (coros), Fred Teixeira (programaciones, efectos, dirección, producción).

Participación especial de: Carlos Careqa (voz),

Grabado en el estudio Chácara Asa Branca, en Campina Grande do Sul (Paraná), en mayo de 2020.

"O álbum é o segundo da carreira de Thayana, e mesmo tendo sido gestado desde 2017, foi em 2020, na pandemia, que ele efetivamente nasceu e foi gravado numa chácara estúdio, com isolamento total dos músicos e produtores, seguindo todos os protocolos de segurança.
Com letras que falam sobre os tempos atuais, Thayana traduz com poesia e delicadeza o desejo de transcender a dor e a indignação do que estamos passando: “É como se eu tocasse em todas as feridas, mas sempre procurando ou apontando uma saída, uma luz no fim do túnel”, completa Thayana.
Das 12 faixas, 4 já estão disponíveis nas plataformas digitais: “Vou Cantar”, definida pela artista como um grito poético coletivo; “Toda Pele”, que dá nome ao disco e é a música mais dançante, inspirada no suingue da música baiana contemporânea; sua versão da icônica “Carcará” de João do Vale e José Cândido, e “Salubá Nanã”, uma homenagem a Nanã, a mais velha das orixás, a avó das avós, uma ode à ancestralidade e a cultura afro-brasileira, tão presente na música e nos projetos da artista.
Ainda inéditas, duas músicas também revelam a alma do disco: a versão de Thayana para a canção “Coração Rasgado” de Carlos Careqa – que participa como cantor – na qual reflete sobre a aniquilação dos povos originários brasileiros. E “Vem Dançar Ciranda”, inspirada em três acontecimentos: O assassinato de Marielle, o rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho e as mobilizações e passeatas de 2019, que culminaram numa primeira greve geral, “parecia ser um momento em que a nação acordaria”, fala Thayana.
Mesmo sendo um álbum solo, Thayana faz questão de frisar que a força do álbum está na potência do coletivo: “Embora eu tenha escrito as canções, foi no processo coletivo de criação dos arranjos que as músicas tomaram corpo e ganharam a forma como se apresentam no CD”. A produção musical é de Fred Teixeira, que junto com Thayana, convidou Simone Sou (Chico César, Itamar Assumpção) para compor a percussão. As músicas contam também com Glauco Solter no baixo, Luiz Otávio na guitarra, Du Gomide no violão, Valderval na bateria e Fernando Lobo na percussão. Todos os artistas participam dos coros coletivos.
A cantora e compositora integrou o naipe de percussão da Orquestra Clássica de Mato Grosso do Sul ainda adolescente. Ao mudar-se para Curitiba mergulhou no universo da cultura popular, integrando o grupo Mundaréu por 15 anos. Neste processo descobriu a caixa do divino, hoje seu principal instrumento, junto com a voz. Ao lado do Grupo Mundaréu, a cantora esteve no palco com nomes como Lia de Itamaracá, Mônica Salmaso, Renata Rosa e André Abujamra.
Em 2014, lançou “Mar de Dentro”, seu primeiro álbum autoral. Já em 2018, participou da produção coletiva do álbum UMA, do trio homônimo que a cantora integra, ao lado de Nani Barbosa e Janaina Fellini." Cultura 930 (06.04.2021)

Temas

CD 1
01
É grande o mar
Thayana Barbosa
02
Eu vejo
Thayana Barbosa
03
Carcará
João do Vale - João Cândido
04
Toda pele
Thayana Barbosa
05
Na roda que o mundo gira
Thayana Barbosa
06
Coração rasgado
Carlos Careqa
Thayana Barbosa & Carlos Careqa
07
Saudade dela
Thayana Barbosa
08
Mar sem céu
Thayana Barbosa - Sergio Justen
09
Salubá nanã
Thayana Barbosa
10
Vem dançar ciranda
Thayana Barbosa
11
Medo da esquina
Thayana Barbosa
12
Vou cantar
Thayana Barbosa