Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

TOC - Ao vivo no Teatro de Santa Isabel

Vitor Araújo
Dvds: Música (clásica)

Disponible

22,60 € impuestos inc.

Ficha técnica Dvds

Sello Deck
Estilo Música (clásica)
Año de Edición Original 2008
Instrumental
Concierto
Observaciones Dual Disc

Más

Vitor Araújo (piano solo)

Grabado "ao vivo" en el Teatro de Vila Isabel, en Recife (Pernambuco), el 20 de diciembre de 2007.

Idioma: Portugués. Sin subtítulos.
No incluye extras.
Duración total aproximada: 88'

Región 0 (DVD sin restricciones de zona: de uso mundial).
Sistema de color: NTSC.
Sonido: Dolby Digital 2.0 + Dolby Digital 5.1
Formato pantalla: 16:9

Segundo registro audiovisual (el primero fue editado en 2006 de forma independiente) del brillante pianista pernambucano Vitor Araújo (Recife, 1989).

"Jovem pianista de Recife, de 19 anos, Vitor Araújo estréia no mercado fonográfico com o dualdisc TOC, de título emprestado do tema de Tom Zé regravado por Araújo neste registro ao vivo de show captado em 20 de dezembro de 2007 num dos mais imponentes teatros da cidade natal do músico. Pela foto da capa, já dá para perceber o espírito jovial e performático do rapaz. Araújo tem provocado discussões no meio acadêmico erudito por conta da forma pouco ortodoxa com que encara partituras de músicas de compositores como Heitor Villa-Lobos (Dança do Índio Branco, O Trenzinho do Caipira e Dança nº 4 - Miudinho) Edino Krieger (Sonatina para Piano) e Claudio Santoro (Paulistana nº 1). É fato que o jovem tem técnica e talento como pianista. Contudo, a performance para Araújo parece ser mais importante do que a música em si. Daí o visual despojado. Daí a idéia (já batida) de tocar seu piano não somente pelas teclas, mas também através de toda a estrutura do instrumento. Vitor Araújo é músico mais para ser visto do que ouvido. Daí o providencial lançamento de sua gravação no formato de dualdisc com CD de um lado e DVD de outro. É no vídeo que sua abordagem pop de temas de Chico Buarque (Samba e Amor, com citação do Tema da Pantera Cor-de-Rosa, de Henry Mancini), Luiz Gonzaga (Asa Branca) e até Radiohead (Paranoid Android) soa mais sedutora. Não espere rigores eruditos de Araújo. Como já revela no figurino descontraído que remete a Jamie Cullum, o moço quer acentuar sua jovialidade ao tocar o piano sentado e em pé. Com as mãos e com os pés... Araújo está fazendo seu barulho, mas este não deve ser amplificado por polêmicas inúteis feitas em nome de valores conservadores. Até porque o tempo vai se encarregar de pôr Araújo no devido lugar..." Mauro Ferreira (Blog Notas Musicais, 16.04.2008)