Suscripción Newsletter

Recibe noticias y avisos de promociones especiales

Hora de lutar (Mestres da MPB)

Geraldo Vandré
Discos: MPB Nordeste

Disponible

16,61 € impuestos inc.

Ficha técnica Discos

Sello Continental
Estilo MPB Nordeste
Año de Edición Original 1965

Más

Geraldo Vandré (voz)

Orquesta con arreglos y dirección de Erlon Chaves (músicos no especificados).

Participación especial de: Baden Powell (guitarraa acústica, en "A maré encheu" y "Vou caminhando")

Primera edición en CD, de 1994, en la serie "Mestres da MPB", del disco lanzado originalmente en 1965 por el sello Continental. Remasterizado, con una portada diferente de la original (la de la segunda foto). Incluye las letras de las canciones y un excelente texto de presentación de Tárik de Souza escrito expresamente para esta edición.

"(...) O segundo LP de Geraldo Vandré, Hora de Lutar (Continental, 1965) é representativo de um avanço em suas concepções políticas. Praticamente abandonando as canções românticas do seu álbum anterior, passa a adotar uma veia combativa neste que é liricamente um dos álbuns mais diretos no que se propõe.
O nome é bastante coerente com o que ocorria na época. O golpe militar-fascista de 1 de Abril de 1964 que derrubou João Goulart (PTB), representante da burguesia nacional, dava seus passos no recrudescimento do sistema político. A cassação de mandatos e a retirada de direitos políticos de entidades e sindicatos eram as mais recentes e criminosas medidas até aquele ano. Sem dúvidas, todo esse alvoroço era uma grande oportunidade, tanto para que Geraldo Vandré aprofundasse seu projeto musical autoral, como para as gravadoras alargarem a sua fatia de vendas no mercado de discos entre as camadas da classe média que iam tomando posição quanto a situação política.
Diferentemente de seu LP de estreia, onde o centro é a imagem do próprio cantor, em Hora de Lutar, vemos uma roda de capoeira. As belíssimas cores pintadas por Frederico Spitale são marcantes pela sua forma simples e artesanal. Bastante singulares, em vista do que vinha sendo lançado. O enfoque dado às questões políticas e sociais ocupa praticamente todas as faixas, em convocações do povo à luta aberta, pela terra ou por “um dia que virá”. Usa também de cantigas populares, cirandas de roda, e outros elementos da cultura popular e nacional como a capoeira.
O álbum poderia ser um dos mais radicais da história do nosso país, se não fossem os exagerados arranjos de Erlon Chaves, que em busca de formas jazzísticas como uma estratégia de comunicação com a juventude universitária imersa no universo da bossa nova, construiu os arranjos sob influência do cool jazz norte-americano. De certo modo, Geraldo Vandré ainda compreendia a bossa nova como um meio necessário à mensagem que pretendia transmitir, percepção que seria alterada somente nos festivais (...)" Cristiano Nazário (Extraido del ensayo "Geraldo Vandré: da resistência à rendição", publicado en A Nova Democracia, 10.05.2021)

Temas

CD 1
01
Hora de lutar
Geraldo Vandré
02:41
02
A maré encheu
Geraldo Vandré - Heitor Villa-Lobos
02:32
03
Despedida de Maria
Geraldo Vandré - Carlos Castilho
03:28
04
Dia de festa
Moacir Santos - Geraldo Vandré
02:52
05
Ladainha
Geraldo Vandré
03:20
06
Asa branca
Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira
02:43
07
Samba de mudar
Baden Powell - Geraldo Vandré
02:40
08
Canta Maria
Geraldo Vandré - Erlon Chaves
02:49
09
Aruanda
Carlos Lyra - Geraldo Vandré
02:48
10
Vou caminhando
Geraldo Vandré
03:15
11
Canto de mar
Geraldo Vandré
02:00
12
Sonho de um carnaval
Chico Buarque de Hollanda (Chico Buarque)
01:42